domingo, 29 de maio de 2011

Grupo dos Ceifeiros de Cuba, "Alentejo"

4 comentários:

Ana Paula Fitas disse...

Queria dizer-vos o quanto me comove ver e ouvir aqui o que de mais autêntico se encontra no coração do Alentejo... não o sei fazer... é preciso entrar lá, chegar e encontrar as gentes para que a alma se sinta em sintonia com a profundidade do sentido com que por lá se canta... mais até do que se fala! Obrigado, Carta a Garcia! Faço votos de que Osvaldo Castro seja eleito por Beja! O Alentejo merece!
Um grande abraço.

Luís Coelho disse...

Aqui neste cante alentejano bebe-se a alma e a vida daquele povo.
Revive-se o seu sofrimento de tantos anos de exploração.

Luís Pita Ameixa disse...

O 'cante' das 'modas' constitui uma expressão profundissima e diferenciadora do Baixo-Alentejo.

E nesse poema, que aqui se ouve, está a simbiose perfeita homem-terra, a pertença do homem ao seu território:

"Eu sou devedor à terra
A terra me está devendo
A terra paga-me em vida
Eu pago à terra em morrendo"

Luís A. Pita Ameixa

Carta a Garcia disse...

Meus Caros Luís Ameixa,Ana Paula e Luís Coelho,

As Vossas palavras, o V/"Cante" e o modo como que referem aos músicos e ao sentir dos alentejanos, são para mim um verdadeiro bálsamo...
Abraços a Todos!
OC