segunda-feira, 30 de abril de 2012

As portas que Abril abriu...Ary dos Santos

Louis Armstrong no 1º Dia Internacional do Jazz


O jazz é uma expressão musical que pode "derrubar  barreiras e simbolizar a paz e a unidade", defende a UNESCO na proclamação  do Dia Internacional do Jazz, que se assinala hoje primeira vez.
A Organização das Nações Unidas para a Educação Ciência Cultura decretou  30 de abril como o Dia Internacional do Jazz por proposta do músico e compositor  Herbie Hancock, embaixador da boa vontade da UNESCO. 
Na mensagem oficial deste dia, a diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova,  sublinhou que o jazz foi e continua a ser "a força que promove uma transformação  social positiva". 
"Por ter as suas raízes na escravatura, esta música fez crescer uma  voz apaixonada contra todas as formas de opressão. Fala a linguagem da liberdade  que é compreendida por todas as culturas. São também estes os objetivos  que guiam a UNESCO nos seus esforços de construir pontes dialogantes entre  todas as culturas e sociedades", afirmou Irina Bokova. 
O jazz é uma das expressões musicais nativas dos Estados Unidos, praticada  inicalmente pela comunidade afro-americana no século XIX, descendente das  vagas de escravos que aportaram nos EUA vindas de África, tendo-se popularizado  nas primeiras décadas do século seguinte. 
Apesar das celebrações serem oficialmente na segunda-feira, hoje em  Paris realizam-se várias iniciativas nas quais participarão, por exemplo,  Herbie Hancock, Barbara Hendricks e Wynton Marsalis. 
Herbie Hancock dará hoje um concerto em Nova Orleães, cidade  que é considerada um dos berços do jazz. Na sede das Nações Unidas estarão  Dee Dee Bridgewater, Diane Reeves, Esperanza Spalding, Angelique Kidjo,  entre outros. 
Em Portugal há várias iniciativas para assinalar o primeiro Dia  Internacional do Jazz. 
No Centro Nacional de Cultura (CNC), em Lisboa, decorrerá  um encontro com o investigador João Moreira dos Santos, o presidente do  CNC, Guilherme D'Oliveira Martins, o músico António Barros Veloso e o diretor  da estação de rádio Antena 2, João Almeida. 
O Hot Clube de Portugal estende-se à Praça da Alegria e propõe uma maratona  de jazz que começará às 13:00 com os alunos da Escola de Jazz Luiz Villas-Boas.
Às 18:00, o antigo contrabaixista e diretor do Hot Clube de Portugal  Bernardo Moreira dará uma aula aberta sob o tema "As memórias da Praça da  Alegria". 
A partir das 22:00 haverá atuações ininterruptas no mais antigo clube  de jazz português com as participações dos irmãos João e Pedro Moreira,  Mariana Norton, Paula Oliveira, Filipe Melo, Marta Hugon, entre outros.
Em Coimbra, o Jazz ao Centro Clube assinala a efeméride e os seus nove  anos de existência, com a apresentação doo programa do décimo Festival do  Jazz ao Centro - Encontros Internacionais de Jazz de Coimbra. 
Mais a sul, em Faro, o destaque vai para a atuação da Andalucia Big  Band, dirigida por Zé Eduardo, com Maria João, Mário Laginha, Viviane, Paulo  Gomes, Fátima Serro, João Frade e o coletivo Fried Neuronium.  
Nos claustros do Museu Municipal de Faro o radialista e especialista  em jazz José Duarte participará no encontro "Conversas Improvisadas". 

Lusa

Subsídios de Natal e férias repostos na íntegra apenas em 2018, diz Gaspar



Os subsídios de Natal e férias serão repostos de forma gradual a partir de 2015 devendo os funcionários públicos voltar a auferir na íntegra do 13º e 14º meses apenas em 2018, indicou esta segunda-feira o ministro das Finanças, Vítor Gaspar.
«A reposição terá de ser gradual a partir de 2015. O ritmo será condicionado pelo espaço orçamental», disse o ministro, referindo que uma hipótese de trabalho prevê areposição dos subsídios será realizada na cadência dos 25% ao ano.
O ministro disse ainda que o défice esperado para o próximo ano é de 3% do PIB, valor que deverá cair para os 0,6% em 2016.

Diário Digital


Reflexões...JJRousseau

Maria Bethânia, "Cálice"


Autoria:Chico Buarque,Gilberto Gil

domingo, 29 de abril de 2012

Hollande pede vitória para França, Europa e para o mundo


O candidato socialista às presidenciais Francesas, François Hollande, pediu hoje, em Paris, uma vitória no próximo domingo, que, considerou, será uma vitória para a França, para a Europa e para o mundo.
"O que os franceses decidirem terá impacto na Europa. Nunca, como agora, uma eleição decidiu tanto na França como na Europa. Esta decisão é esperada em todo o lado. Vocês, cidadãos franceses, digam à Europa que ela deve reorientar-se em direção ao crescimento", afirmou o socialista, que as sondagens indicam que será o próximo Presidente francês.
François Hollande acrescentou que, à medida que o escrutínio se aproxima, "e que toma uma certa direção", ele tem sentido "as posições, incluindo as dos chefes de Governo conservadores da Europa, a evoluírem em função dos prognósticos".
"Mas não penso só na Europa. Quero também que a eleição do dia 06 de maio seja para a África, para a América Latina, para os continentes que olham para a França com esperança e admiração", disse ainda.
O ambiente era de festa, as luzes que caiam sobre a multidão que aplaudia o socialista eram azuis e vermelhas, a dizer bem com a França e com as cores da campanha. A cara de Hollande e a sua promessa de mudança estavam por todo o lado. O candidato começou a falar em cima das 16:00. Antes, furou pela multidão, acenou, deu autógrafos, beijou crianças.
O candidato criticou as "mentiras" que o recandidato, Nicolas Sarkozy, -- cujo nome não foi dito uma única vez -- "tem trazido à campanha", e criticou "o medo a que a direita recorre sempre".
"O sonho francês não é uma quimera", afirmou, repetindo as suas promessas de crescimento, igualdade, justiça, trabalho, solidariedade e união nacional e entre classes.
François Hollande prometeu ainda lutar contra as desigualdades fiscais: "Houve tantas injustiças! Deram aos privilegiados mais privilégios e colocaram o Estado -- o tesouro público -- a passar cheques às grandes fortunas e aos rendimentos mais elevados", disse. Agora, prometeu, será o inverso: "Vão ser as grandes fortunas e os maiores rendimentos a passar cheques ao tesouro público", afirmou.
O socialista terminou o comício com uma bandeira da França na mão direita e com uma bandeira da Europa na mão esquerda. Depois do hino nacional e do hino de campanha, voltou ao microfone para pedir aos franceses que não deem a vitória como garantida, e que saiam de casa para votar.
Enquanto Hollande falava, em Toulouse, as tropas do candidato à reeleição, Nicolas Sarkozy, começavam a reunir-se. O discurso do recandidato estava agendado para uma hora depois do de François Hollande. Os encontros de hoje foram o último duelo à distância antes do grande debate televisivo de quarta-feira, que se estima que será visto por 20 milhões de telespetadores.
A segunda volta das eleições presidenciais em França está agendada para o próximo domingo, 06 de maio.

Diário Digital com Lusa

Nova sondagem mostra Hollande com 54% das intenções de votos

O socialista François Hollande venceria a segunda volta das eleições presidenciais de França, a 6 de Maio, com 54% dos votos, contra 46% do actual presidente, Nicolas Sarkozy, segundo uma nova sondagem.
A sondagem do instituto LH2 para o Yahoo! mostra uma pequena mudança em relação a uma pesquisa de 19 de Abril, antes da primeira volta. Na ocasião, Hollande tinha 56% das intenções de voto e Sarkozy 44% para a segunda volta.
De acordo com a pesquisa divulgada este domingo, Hollande beneficiaria na segunda volta de 70% dos votos do candidato da esquerda radical Jean-Luc Mélenchon (11,1% no primeiro turno), 30% dos votos de François Bayrou (9,1%) e 20% dos votos de Marine Le Pen (17,9%).
Sarkozy teria o apoio de 2% dos eleitores de Jean-Luc Mélenchon, 31% dos simpatizantes de François Bayrou e 45% dos eleitores de Marine Le Pen

Fraude do BPN daria para pagar subsídios até 2015

Por:Ionline/Beatriz Silva,29 Abr 2012
Fraude pode custar 8,3 mil milhões
A fraude do Banco Português de Negócios (BPN) daria para pagar três anos de subsídios de férias e Natal, segundo o Diário de Notícias.
O montante pago pelo Estado português com o banco é o equivalente ao pago com subsídios até 2015. Feitas as contas, o governo já gastou 3,5 mil milhões de euros, mas o BPN poderá vir a custar 8,3 mil milhões aos contribuintes.

A somar, o Estado terá agora de suportar os despojos do BPN, tendo que formar as empresas veículos, entre elas o que mais assusta são os 3,9 mil milhões de euros que a Caixa Geral de Depósitos tem de exposição nessas empresas veículos.
O custo final é, para já, impossível de contabilizar com precisão. Até lá, os impostos dos contribuintes vão pagar uma instituição bancária, que já levou para tribunal José Oliveira e Costa, presidente do BPN entre 1998 e 2008.
O Banco Português de Negócios foi vendido ao BIC, presidido em Portugal por Mira Amaral, por 40 milhões de euros.

Foi por ela...Amigo Miguel!

Cultura Constitucional

A repetição de polémicas estéreis, sem um fundamento sólido, em torno do Tribunal Constitucional exige a evocação de certos factos. Herdeiro da Comissão Constitucional, criada após a Revolução de Abril, este Tribunal tem sido um instrumento de aperfeiçoamento democrático das leis e a qualidade da sua jurisprudência é reconhecida pela comunidade jurídica.Na verdade, o Tribunal Constitucional tem obrigado a adequar à Constituição inúmeras leis que a representatividade democrática deixou conceber sem o rigor necessário. Aconteceu assim com várias leis atinentes a direitos fundamentais, no campo do Direito e do Processo Penal, do Direito do Trabalho, do Direito Administrativo ou do Direito da Família.Por outro lado, O Tribunal Constitucional português tem granjeado um elevado prestígio, sendo citado com muita frequência em instâncias internacionais. O Tribunal faz parte das Conferências dos Tribunais Constitucionais ao nível mundial, europeu, ibero-americano e da CPLP e constitui um poderoso instrumento de difusão do nosso pensamento jurídico.Além disso – e apesar de a escolha dos juízes ser feita, como noutros países, por acordo entre partidos com representação parlamentar –, as decisões, mesmo quando têm incidência política, são tomadas quase sempre por unanimidade ou por larga maioria e com fundamentos sólidos. Assim aconteceu, recentemente, com a lei do enriquecimento ilícito.Por fim, pode dizer-se que existe já uma cultura jurídica que controla os desvios à democracia e os atentados aos direitos fundamentais, formada pelas dezenas de juízes que têm trabalhado no Tribunal Constitucional. Essa cultura dificilmente poderia ser gerada por uma instância judicial "normal" e sem o diálogo entre juristas com diferentes proveniências e mundivisões.Por tudo isto, é indispensável valorizar a jurisprudência do Tribunal Constitucional e preservar a sua tradição de estudo e de rigor (que se tem conjugado sempre com um alto nível de produtividade). As questiúnculas sobre os nomes de juízes não podem pôr em causa a cultura de constitucionalidade que se desenvolveu por obra daquela instituição.Aos novos juízes, tal como aos antigos, exige-se uma forte predisposição para dar sequência ao trabalho anterior, com a máxima independência de pré-compreensões políticas, ideológicas ou religiosas e livres de qualquer influência exterior. Essa exigência, vital para o Estado de Direito Democrático, deve ser-lhes feita, desde logo, pelos partidos que os propõem.
Por:Fernanda Palma, Professora Catedrática de Direito Penal,com a devida vénia.Publicado no "Correio da Manhã".

sábado, 28 de abril de 2012

Hollande acredita que a perspectiva da sua vitória fez Merkel mudar

Por:Ionline/Lusa,28 Abril 2012
O candidato socialista à presidência francesa, François Hollande, afirmou hoje que a “perspetiva” da sua vitória na segunda volta das eleições levou a uma alteração da postura da chanceler alemã sobre a introdução das medidas para o crescimento económico.
Angela Merkel e outros dirigentes europeus tomaram a vitória de François Hollande “como uma hipótese suficientemente séria para modificar o conteúdo da agenda europeia”, disse o candidato socialista à presidência francesa à Rádio J, citado pela agência Efe.
Numa entrevista ao jornal alemão Leipziger Volkszeitung publicada hoje, a chanceler alemã Angela Merkel disse que está a ser preparada "uma agenda de crescimento" para a próxima cimeira de chefes de Estado e governo da União Europeia.
“Merkel recupera a iniciativa proposta pelo presidente [Herman] van Rompuy para o Conselho Europeu, diz que está disposta a introduzir um maior crescimento. Nem que sejam por isto, a campanha já foi útil”, afirmou François Hollande.
“Haverá uma renegociação” do tratado europeu de estabilidade e “haverá um pacto para o crescimento”, assinalou.
Hollande reconheceu que Merkel recusa renegociar o pacto orçamental europeu, mas assinalou que, se mudou de posição no que respeita ao crescimento, também o fará noutros temas.
“Há umas semanas nem sequer queria ouvir falar da palavra crescimento (…), mas mudou e mudará mais depois das eleições francesas”, disse Hollande.
A segunda volta das eleições presidenciais francesas realiza-se a 06 de Maio.

Revelação:Documento prova que Kadhafi ia financiar Sarkozy

por:Dn.pt-Hoje
A 12 de março, Nicolas Sarkozy tinha qualificado de "grotesco" um eventual financiamento da sua campanha presidencial de 2007 por Muammar Kadhafi. Mas, afinal, era verdade.
O site francês Mediapart, publicou este sábado, um documento assinado por um ex-dirigente líbio, que prova que o regime do antigo líder Muammar Kadhafi aceitou, em 2006, financiar a campanha presidencial de 2007 de Nicolas Sarkozy com uma verba de 50 milhões de euros.
Segundo avançou a France Press, no documento, escrito em árabe, Moussa Koussa, ex-chefe dos serviços de relações exteriores líbios, dá conta de "um acordo de princípio" para "apoiar a campanha eleitoral do candidato às eleições presidenciais francesas, o senhor Nicolas Sarkozy, com o montante de cinquenta milhões de euros".
A 12 de março, Nicolas Sarkozy tinha qualificado de "grotesco" um eventual financiamento da sua campanha presidencial de 2007 por Muammar Kadhafi.

Exibição de Banda militar da Noruega, espectáculo imperdível...!


(Via J.Pereira;Mª Fátima)

Tribunal diz que entrega da casa ao banco salda toda a dívida


28.04.2012 -Por:Público
É uma decisão inédita da justiça portuguesa e foi tomada por um juiz do Tribunal de Portalegre. O magistrado decidiu que em caso de incumprimento, a entrega da casa ao banco liquida toda a dívida.
A sentença, divulgada neste sábado pelo Diário de Notícias e que já transitou em julgado, é de Janeiro deste ano e pode, segundo o mesmo jornal, fazer toda a diferença para muitas das famílias portuguesas que não conseguem pagar os empréstimos contraídos para a aquisição de habitação própria.
De acordo com o juiz de Portalegre, "há um enriquecimento injustificado" por parte dos bancos quando, após a entrega da casa ao banco (dação em pagamento), as instituições de crédito avaliam e adquirem a casa abaixo do valor dessa avaliação, exigindo, como contrapartida, a diferença entre o valor da avaliação e a venda ao próprio banco pelo preço estipulado por estes últimos.
Dito de outro modo: até aqui, quem pede um empréstimo e falha as suas obrigações era obrigado a pagar ao banco a diferença entre o valor da avaliação e o preço aplicado na venda do imóvel ao banco. E é esta regra que o juiz considerou um "enriquecimento injustificado" do banco.(Ler mais)

Investigação Expresso: Caso dos espiões vai ter mais arguidos

Inquirições vão continuar no DIAP de Lisboa e outros envolvidos vão ser constituídos arguidos.
23:42 Sexta feira, 27 de abril de 2012
A investigação que o Expresso iniciou em julho do ano passado e que revelou uma suspeita teia de ligações entre os serviços secretos, um grupo empresarial e uma loja da maçonaria com ramificações políticas, já levou à constituição de dois arguidos.No âmbito do processo que está a ser conduzido pela procuradora Teresa Almeida, do DIAP de Lisboa, foram ouvidos, esta semana, o presidente da Ongoing, Nuno Vasconcellos, e o ex-diretor do SIED, Jorge Silva Carvalho, entretanto contratado para um alto cargo na Ongoing.A passagem de informações dos serviços secretos para a Ongoing, antes e depois de deixar o SIED - reveladas pelo Expresso - estarão na base das suspeitas de corrupção e de possível violação de segredo de Estado. Silva Carvalho, que transitou para a Ongoing acompanhado de mais dois ex-agentes do SIED - um deles com passagem pela PJ e pela Interpol - foi, tal como Nuno Vasconcellos, chefe da loja maçónica Mozart, a que também pertenceu o atual líder parlamentar do PSD, Luís Montenegro.
Leia mais na edição impressa do Expresso este fim-de-semana nas bancas.

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Guiné-Bissau:Presidente interino e primeiro-ministro foram libertados

por: dn.pt e Lusa-Hoje
O Presidente interino da Guiné-Bissau Raimundo Pereira, e o primeiro-ministro, Carlos Gomes Júnior, ambos detidos desde o golpe de Estado de 12 de abril, foram hoje libertados, disse à Lusa um familiar do chefe do Governo.
Dezenas de pessoas estão concentradas em Bissau nasede do PAIGC, no poder até dia 12, a festejar estas libertações.
Fontes militares já tinham vanaçdo à Lusa que o primeiro-ministro, CarlosGomes Júnior, e o Presidente interino, Raimundo Pereira, detidos no dia 12 de abril, na sequência do golpe militar na Guiné-Bissau, partiram hoje no mesmo avião que trouxe ao país os elementos do Comando Militar que participaram quinta-feira numa cimeira extraordinária da CEDEAO.
De acordo com informação colocada hoje pelo jornalista guineeense António Aly Silva no seu blogue, "Carlos Gomes e Raimundo Pereira foram libertados e seguiram com a delegação da CEDEAO para Abidjan, na Costa do Marfim".
No entanto, numa conferência de imprensa realizada hoje em Bissau, questionado pela Lusa, o porta-voz do Comando Militar, Daba Na Walna, disse que não confirmava a libertação de Carlos Gomes Júnior e de Raimundo Pereira. "Não confirmo, não sei nada disso", disse, acrescentando: "só sei que estão detidos" e que, como tal, continuam na Guiné-Bissau.
O avião que partiu hoje ao fim do dia transporta os chefes das forças armadas da Nigéria, Senegal e Costa do Marfim, que estiveram reunidos durante o dia como Comando Militar, e que vão participar na força da África Ocidental previstapara a Guiné-Bissau.

Milhares de noruegueses saíram à rua para cantar a canção que Breivik odeia

26.04.2012 -Por:Público/Isabel Gorjão Santos
Dentro da sala de audiências Anders Breivik ouviu, imperturbável, os testemunhos das vítimas dos atentados na Noruega. Cá fora, cerca de 40 mil pessoas saíram à rua para cantar “As crianças do arco-íris” que tornou-se o hino dos que protestam contra a intolerância.
A chuva não impediu milhares de noruegueses de se juntarem na praça Youngstorget, em Oslo, não muito longe do edifício do Governo onde Anders Breivik já confessou ter colocado a bomba que explodiu nos atentados de Julho do ano passado, e a apenas alguns quarteirões do tribunal onde está a ser julgado. Breivik não os terá ouvido, mas foi ele quem deu o mote para a manifestação.
Durante o julgamento, Breivik disse odiar uma canção infantil muito popular na Noruega, chamada “Crianças do arco-íris”, que fala de “uma terra onde as flores crescem” e onde todos vivem juntos, “cada irmã e cada irmão”. Para o autor confesso dos ataques em que morreram 77 pessoas, esta canção de Lillebjoern Nielsen não passa de “propaganda marxista” que serve para fazer “lavagem ao cérebro das crianças”.
Das declarações de Breivik, que tem defendido posições extremistas contra o multiculturalismo e a “invasão muçulmana”, à convocação de um protesto através do Facebook foi um instante. Por isso, nesta quinta-feira, “Crianças do Arco-íris” foi a banda sonora de Oslo.(Ler Mais)

Desemprego oficial em Espanha pulou para 24,44% e roça máximo histórico

27.04.2012-Por:Público/Paulo Miguel Madeira
A taxa oficial de desemprego em Espanha pulou para 24,44% no primeiro trimestre do ano, mais 1,54 pontos do que entre Outubro e Dezembro e fica próximo do máximo histórico.
Estes valores significam que o número de desempregados aumentou em 365.900 nos primeiros três meses do ano, para 5,64 milhões, segundo dados divulgados hoje pelo Instituto Nacional de Estatística de Espanha, obtidos a partir do Inquérito à População Activa.
O recorde de desemprego registado em Espanha é de 25,55%, em 1994, recorda o diário El País. Atendendo à dinâmica do mercado de trabalho esperada para os próximos meses no país, é natural que seja ultrapassado rapidamente.
Este forte aumento do desemprego foi acompanhado de uma pequena redução da população activa, de 8400 pessoas, o que significa menos 374.300 postos de trabalho no país, para 17,433 milhões.
A queda do emprego atingiu todos os sectores e foi muito maior entre os homens (menos 278,3 mil) do que entre as mulheres (menos 96 mil). Simultaneamente, o número de lares em que todos os membros estão desempregados aumentou para 1,73 milhões – mais 153,4 mil do que no quarto trimestre de 2011.
As comunidades autónomas com desemprego mais elevado são a Andaluzia (33,17%) e a Extremadura (32,05%), ambas próximas de Portugal. O valor mais reduzido regista-se no País Basco (13,55%). A região de Madrid foi a única onde o emprego aumentou

Reflexões,ou da necessidade da reestruturação...

quinta-feira, 26 de abril de 2012

TC: PSD considera que «neste momento não está garantido que haja dois magistrados na lista» de candidatos

O PSD considera que «neste momento não está garantido que haja dois magistrados na lista» candidata ao Tribunal Constitucional, disse fonte social-democrata, depois de o PS ter revelado que o PSD ainda «não se disponibilizou» para a subscrever.
«Neste momento, não está garantido que haja dois magistrados na lista» dos três candidatos a juízes do Tribunal Constitucional, indicados pelo PSD, pelo CDS e pelo PS, disse fonte do PSD no Parlamento.
A posição social-democrata surgiu pouco depois de o líder parlamentar do PS, Carlos Zorrinho, ter afirmado aos jornalistas que o PSD ainda «não se disponibilizou para assinar» uma lista conjunta com os nomes indicados pelos socialistas, sociais-democratas e pelo CDS-PP ao Tribunal Constitucional.
Diário Digital / Lusa

Judo:Telma Monteiro sagra-se campeã da Europa

por:dn.pt/Lusa-Hoje
A portuguesa Telma Monteiro sagrou-se esta quinta-feira, pela quarta vez na sua carreira, campeã europeia de judo, ao vencer a grega Ioulietta Boukouvala na final dos -57 kg.
Em oito presenças em campeonatos da Europa, Telma Monteiro nunca falhou uma ida ao pódio, com títulos hoje em Chelyabinsk, na Rússia, em 2009 em Tbilissi, em 2007 em Belgrado e em 2006 em Tampere, na Finlândia, nas duas últimas na categoria de -52 kg.
A judoca portuguesa também foi medalha de prata nos Europeus de Istambul, no último ano, e bronze em 2010, em Viena, em 2005, em Roterdão (Holanda), e em 2004, em Bucareste.

Assunção Esteves exige que PSD, CDS e PS se comprometam com todos os candidatos ao TC

26.04.2012-Por:Público,Sofia Rodrigues
A Presidente da Assembleia da República quer uma lista única com os três candidatos ao Tribunal Constitucional, subscrita pelos três partidos – PSD, CDS e PS – e em que dois dos nomes têm de ser magistrados. Foi esse o pedido que Assunção Esteves fez às bancadas na conferência de líderes de hoje, apurou o PÚBLICO.
A questão foi discutida na reunião de hoje e está relacionada com as dúvidas em torno do estatuto de Conde Rodrigues, proposto pelo PS, que os socialistas insistem ser magistrado, mas há deputados noutras bancadas que consideram que não cumpre o requisito por se encontrar em licença sem vencimento.
Os socialistas defendem a hipótese do ex-secretário de Estado entrar para o Tribunal Constitucional como jurista e que a quota exigida de juízes (seis em treze) seja cumprida através da futura cooptação de um quarto elemento, que seria um magistrado. Mas o PÚBLICO sabe que a Presidente sustenta que a quota dos juízes tem de ser cumprida no momento da eleição e que esse número não está garantido na cooptação do futuro membro.
Assunção Esteves considera ainda que a cooptação pode não ser imediata (é feita numa reunião após a eleição dos juízes), o que pode colocar em causa a composição do tribunal.
Além de Conde Rodrigues pelo PS, o PSD indicou Maria José Mesquita Rangel (jurista) e o CDS escolheu Fátima Mata Mouros (magistrada).

Presidente da Ongoing deverá ser constituído arguido no caso das “secretas”

Hoje-Público,Rita Brandão Guerra
Nuno Vasconcelos, presidente da Ongoing, deverá ser hoje ouvido no Departamento de Investigação e Acção Penal de Lisboa.Nuno Vasconcelos será ouvido no âmbito do processo relativo ao ex-espião Silva Carvalho, que trabalhou na Ongoing.O Diário de Notícias avança que Nuno Vasconcelos irá responder por suspeitas de fugas de informação confidencial quando Silva Carvalho ainda estava na direcção do Serviço de Informações Estratégicas de Defesa (SIED). Silva Carvalho integrou a partir de Janeiro de 2011 os quadros da Ongoing, demitindo-se já em Janeiro deste ano, por considerar estar a ser alvo de uma campanha "injuriosa".

A investigação tem estado a cargo da equipa da procuradora geral adjunta Maria José Morgado e o caso remonta a Agosto de 2011, quando o semanário Expresso noticiou que o SIED, com Silva Carvalho na direcção, teria acedido ilegalmente ao telemóvel de um ex-jornalista do PÚBLICO.

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Carminho, "A noite gosta de mim"

Portugueses enchem Avenida da Liberdade para comemorar o 25 de Abril

25.04.2012-Por:Público/Maria Lopes
Os portugueses voltaram a encher a Avenida da Liberdade para celebrar o 25 de Abril. Entre eles esteve Manuel Alegre. Para Vasco Lourenço a verdadeira comemoração foi feita nas ruas.
A chuva não impediu que os portugueses enchessem nesta quarta-feira a lisboeta Avenida da Liberdade, numa marcha comemorativa do 25 de Abril, em que os cartazes contra a extinção de freguesias se destacavam.

Entre os presentes esteve o socialista e ex-candidato a presidente da República Manuel Alegre, que se recusou a participar na cerimónia comemorativa do 25 da Abril na Assembleia da República em solidariedade com a Associação 25 de Abril. A associação anunciou há dias que não marcaria presença na sessão oficial no Parlamento em protesto contra as políticas do Governo. (Ler mais)

25 de Abril: Milhares desfilaram na Avenida da Liberdade, em Lisboa

Diário Digital-hoje

Milhares de pessoas desfilaram hoje na Avenida da Liberdade em direção ao Rossio, em Lisboa, para celebrar o 25 de abril, uma iniciativa da Associação 25 de Abril, que esteve ausente, pela primeira vez, da sessão solene no Parlamento que comemorou a data. Apesar da chuva, a avenida encheu-se de gente, cravos e cartazes, estes sobretudo em protesto contra a extinção de freguesias.
Entre os participantes está o socialista e ex-candidato a presidente da República Manuel Alegre, o líder do Bloco de Esquerda, Francisco Louçã, e o líder da CGTP, Arménio Carlos, para quem «os ideais do 25 de Abril estão a ser esquecidos».
A Juventude Socialista encabeçava a marcha com uma tarja escrita em grego onde se podia ler «somos todos gregos».

25 de Abril, Dia da Liberdade "O dia inicial inteiro e limpo"

(Para o Dinis,agora que já sabe ler)

Conto-te daquela madrugada em que os corações dos portugueses se alvoroçaram.
Nascia “O dia inicial inteiro e limpo/ Onde emergimos da noite e do silêncio…” como o celebrou Sophia de Mello Breyner num dos seus belos poemas.
Sim, vivíamos num enclausurado silêncio, numa longa noite que se arrastava por mais de 48 anos e que se entrecortava com uma guerra colonial que devastava pela morte, pela mutilação e pela doença vastos milhares de jovens portugueses, mas também muitos milhares de jovens guerrilheiros e simples cidadãos africanos.
Obviamente, Portugal sangrava em África os recursos humanos e financeiros. Por outras palavras, vivíamos num país esmagado pela fome e pela mais pesada miséria.
Claro, não havia liberdade de opinião, nem liberdade de imprensa, nem liberdade de reunião, de manifestação ou de greve.
O regime assentava num partido único e no poder ilimitado da polícia política.
Mas, também te digo, houve sempre muita gente que se empenhou na luta contra a opressão, democratas, operários, camponeses, estudantes, mulheres, enfim, uma grossa corrente de opinião que, por isso, penou nas prisões políticas ou até sucumbiu às balas ou aos maus tratos dos esbirros do fascismo.
A Marinha Grande sabe disso muito bem porque muitos dos seus filhos o sentiram…
Até que um punhado de indómitos e jovens capitães ousou levar de vencida a ditadura e interpretar os mais lídimos sentimentos de um povo, que os saudou e motivou, naquela madrugada de 25 de Abril de 1974.
“Esta é a madrugada que eu esperava…”disse Sophia. Falava por todos os portugueses!

Osvaldo Castro

(excerto adaptado das minhas primeiras palavras na Sessão Solene do 25 de Abril de 2008, na Assembleia da República)

Capitães de Abril, Maria de Medeiros,(excerto)

terça-feira, 24 de abril de 2012

Não deixem de cantar...o Miguel está a ouvir...!

A Hora da Liberdade...

Centenas de milhar podem ficar sem net em julho

por:dn.pt-Hoje
Piratas informáticos arranjaram maneira de dirigir utilizadores para os seus servidores. Computadores da NASA foram também afetados.
São mais de 300 mil utilizadores de computadores um pouco por todo o mundo que poderão perder o acesso à Internet a partir de 9 de julho, avisa o FBI na sequência da descoberta de mais um esquema de pirataria informática.
O FBI criou uma página (www.dcwg.org) que irá permitir aos utilizadores saberem se os seus computadores foram ou não afetados com um programa chamado DNS Changer, que servia de "porta de entrada" aos vírus informáticos. Esta fraude foi descoberta em novembro e levou à detenção de seis cidadãos da Estónia que utilizavam aquele programa para manipularem a publicidade na Internet e dirigir os utilizadores para servidores sob o seu controlo. Após a descoberta da fraude, o FBI substituiu aqueles servidores por outros, de transição, para evitar que os utilizadores afetados ficassem de imediato sem acesso net.
Será o desligar destes servidores de transição que poderá deixar cerca de 300 mil utilizadores sem ligação net a partir de 9 de julho se, entretanto, os computadores contaminados não tiverem sido limpos dos vírus. Só nos EUA foram afetados mais de 85 mil computadores, entre estes alguns da agência espacial NASA.
O esquema permitiu aos piratas informáticos ganharem 14 milhões de dólares.

"Tanto Mar"...Chico Buarque

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Ulysses, de James Joyce, pois claro …no Dia Mundial do Livro

Pediste-me, Inês, meia dúzia de linhas sobre “o livro da minha vida”. O mais fácil, ou politicamente correcto, seria estrondear com um qualquer livro de autor português…que os há e de grande qualidade. Vem-me ao teclado e à memória o perfume de Margarida, esse símbolo de quinze gerações açorianas de “meninas belas, filhas umas das outras”, do “Mau tempo no canal”, do imperdível Vitorino Nemésio.
Porém, por entre a minha verdadeira perdição, o meu vício, pelos livros – coisa de adolescente que felizmente se mantém – é indiscutível que nunca esquecerei o Stendhal da “Cartuxa de Parma”e menos ainda as “Memórias de Adriano”, de Marguerite Yourcenar, esse poderoso encontro entre a escritora do século XX com um Imperador romano que viveu 19 séculos antes. É o domínio da ficção, através da carta-testamento ao jovem e futuro imperador, Marco Aurélio. É, com rigorosa fidelidade histórica, o entrecruzar da biografia de um homem com as nuvens anunciadas da decadência de Roma. É um quase monólogo sobre a (sua/nossa) vida, um olhar fundo por sobre a precariedade da existência humana e da inevitabilidade da morte…
Mas as histórias vividas, no dia 16 de Junho de 1904, pelo irlandês Leopold Bloom, nas ruas, bares e bordéis de Dublin, são, verdadeiramente, a reconstrução da odisseia de Ulysses da epopeia homérica.
Bloom sai de casa para tarefas tão comezinhas como comprar comida para a mulher, ir aos Correios levantar cartas da sua amante e para as suas funções de publicitário….e acaba por perder-se no dia e na noite de Dublin. O regresso de Bloom à sua Ítaca, a sua casa, após gloriosa bebedeira, escorraçado de mais um bar, culmina, tal como Ulysses, uma verdadeira peregrinação por tudo o que de perigos e prazeres foi criado por mãos e mentes humanas.
Pisando o pé para conhecer os caminhos, Joyce, através de Bloom, dá a conhecer culturas, filosofias, línguas, maneirismos, religiões, preces, magias e erotismos, sem esquecer as famas etílicas irlandesas.
Enfim, um livro enciclopédico, difícil, denso, a que o leitor tem de voltar inúmeras vezes. Um livro cuja edição esteve proibida na velha Inglaterra até 1936 e nos Estados Unidos até 1933, por ser considerado obsceno! E no entanto, os sábios da literatura incluem-no entre os 50 melhores livros de sempre. E não poucos atribuem ao livro de Joyce a verdadeira criação do discurso narrativo do romance moderno.
É o meu livro de cabeceira, apenas porque do engenho da sua trama narrativa, mas também das suas variadas complexidades, é obrigatório voltar a ele amiúde, até para o compreender melhor. Já agora, o tão mundialmente celebrado Bloomsday comemora-se no próximo 16 de Junho.
Osvaldo Castro(reeditado)

Associação 25 de Abril pela primeira vez fora das comemorações da revolução

23.04.2012-Por:Público/Lusa
Pela primeira vez, a Associação 25 de Abril não vai participar nas celebrações oficiais da Revolução dos Cravos. A justificação: “a linha política seguida pelo actual poder político deixou de reflectir o regime democrático herdeiro do 25 de Abril configurado na Constituição da República Portuguesa”.
O anúncio foi feito hoje, em Lisboa, pela direcção da associação que numa conferência de imprensa apresentou um manifesto intitulado “Abril não desarma”, lido por Vasco Lourenço. “O poder político que actualmente governa Portugal configura um outro ciclo político que está contra o 25 de Abril, os seus ideais e os seus valores. Em conformidade, a Associação 25 de Baril anuncia que não participará nos actos oficiais nacionais evocativos do 38.º aniversário do 25 de Abril”, lê-se no texto.(Ler mais)

Hollande vence e é favorito à 2.ª volta de 6 de maio

por:dn.pt/H.T.-Hoje
O socialista obteve 28,6 a 29,2% dos votos da primeira volta das presidenciais, à frente do Presidente Nicolas Sarkozy, com 26,1% a 27,3%. Segunda volta é a 6 de maio e sondagens Ipsos e Ifop deixam prever vitória de Hollande
.
François Hollande venceu a primeira volta das presidenciais em França e surge como favorito à segunda volta de 6 de maio, face ao atual chefe do Estado, Nicolas Sarkozy. O socialista deverá então contar com os votos da esquerda radical e dos ecologistas, enquanto Sarkozy contará com os apoios da direita.
Sondagens dos institutos Ipsos e Ifop realizadas pouco depois de conhecidos os resultados da primeira volta, dão Hollande como vencedor à segunda volta. O socialista conseguiria 54% dos votos, contra 46% de Sarkozy.
Segundo as estimativas divulgadas pelas televisões, a surpresa desta primeira volta é mesmo Marine Le Pen. A candidata da Frente Nacional, acima dos 18% dos votos, consegue assim um resultado superior ao do seu pai e anterior líder do partido, Jean-Marie Le Pen, em 2002, quando chocou a França ao passar à segunda volta.
Os cinco outros candidatos ficaram muito atrás. A ecologista Eva Joly fica-se pelos 2,1% a 2,3%, o soberanista Nicolas Dupont-Aignan, 1,5% a 2,1%, o trotskista Philippe Poutou, 1,2% a 1,3%, a outra trotskista Nathalie Arnhaud, de 0,5% a 0,6%, e Jacques Cheminade, 0,3%.
A participação, segundo todos os institutos, será de pelo menos 80%, abaixo dos 83,77% de 2007, mas muito acima dos 71,6% de 2002.

domingo, 22 de abril de 2012

Et Maintenant...? Agora, só unir toda a esquerda num combate sem tréguas...!


Yves Montand, "Bella Ciao"
Perante a vitória de Hollande e os resultados positivos de Mélenchon e demais candidatos de esquerda, só um combate pela unidade e defesa dos desprotegidos poderá retomar a rosa. Só enfrentando de peito aberto os que hostilizam os valores da liberdade, da igualdade e da fraternidade,se poderá confirmar a vitória do candidato da esquerda e selar com peso de chumbo a derrota de Sarkozy na 2ª volta.
De acordo com sondagens desta noite a hipótese de reconfirmação da vitória de Hollande é uma previsível realidade e ronda diferenças que podem atingir cerca de 10%.
A França é agora,ou tem de ser, o farol do multiculturalismo, da defesa dos direitos humanos, mas também dos desvalidos, dos pobres e dos sem salário e sem emprego de toda a Europa.
Ça ira pour la France e pour toute l'Europe!

Hollande vence primeira volta das presidenciais francesas

22.04.2012-19:02 Por:Público/Agências
O socialista François Hollande venceu Nicolas Sarkozy na primeira volta das presidenciais francesas. Hollande terá conquistado mais de 28% dos votos, ao passo que Sarkozy terá arrecadado entre 25,5% e 27%, de acordo com os primeiros resultados oficiais anunciados após o fecho das urnas, às 20h locais.
Os dois homens defrontar-se-ão na segunda volta, marcada para 6 de Maio, dia em que o candidato socialista poderá ficar em vantagem, contando com os votos da esquerda radical e dos ecologistas.
Esta é a primeira vez que um Presidente que se recandidata ao cargo não consegue vencer as eleições à primeira volta desde o início da Quinta República Francesa, em 1958.
A candidata de extrema-direita, Marine Le Pen, ficou na terceira posição, à frente do “candidato surpresa” desta campanha eleitoral, Jean-Luc Mélenchon, que representa os comunistas e parte da extrema-esquerda. Marine Le Pen terá obtido entre 18,2 a 20% dos votos, ao passo que Mélenchon ter-se-á ficado pelos 10-13,5%.
A taxa de participação cifrou-se em cerca de 80%, uma percentagem muito elevada mas ainda assim inferior à registada em 2007 (83,77%).
Por seu lado, François Bayrou terá obtido cerca de 8,8% dos votos.
Os restantes candidatos estão bem atrás dos cinco mais votados: a ecologista Eva Joly terá obtido entre 2,1% e 2,3% dos votos, Nicolas Dupont-Aignan entre 1,5% e 2,1%, o trotskista Philippe Poutou entre 1,2% e 1,3%, a outra trotskista Nathalie Arthaud entre 0,5% e 0,6% e Jacques Cheminade cerca de 0,3%.
Notícia actualizada às 19h20

Presidenciais francesas:Forte participação em eleições com Hollande favorito

por:dn.pt-Hoje

Às 17h00 (menos uma em Portugal), a taxa de participação era de 70,59%, mesmo assim em recuo em relação aos 73,87% de 2007. O socialista François Hollande é dado como favorito nesta primeira volta frente ao Presidente Nicolas Sarkozy.
Os 44,5 milhões de eleitores franceses são chamados às urnas para escolher os dois candidatos que irão passar à segunda volta de 6 de maio. François Hollande, que votou em Tulle, na Corrèze, de manhã na companhia da companheira, a jornalista Valérie Trierweiler, disse estar atento a uma dia "muito importante".
Já Sarkozy, que votou em Paris com a primeira dama Carla Bruni, saudou a multidão que o esperava, mas não prestou declarações.
A acreditar nas últimas sondagens, Hollande deverá vencer esta primeira volta com 28,5% dos votos, apenas dois pontos de vantagem em relação a Sarkozy. Os dois homens estão muito á frente dos restantes oito candidatos. Marine Le Pen, da Frente Nacional (extrema-direita) deverá obter 15%, sendo logo seguida de Jean-Luc Mélenchon, da esquerda radical e surpresa da campanha, com pouco menos de 15%.
A segunda volta está marcada para dentro de duas semanas e deverão definir quem vai liderar uma das principais economias mundiais.

Ode à Alegria,Beethoven IMPRESSIONANTE!


10.000 Japoneses a cantar em alemão...impressionante!

França:Sarkozy em silêncio, Hollande mostra-se "atento"

por:dn.pt-Hoje
O Presidente não fez declarações aos media, enquanto o socialista, favorito à primeira volta das presidenciais francesas, votou no seu bastião de Tulle, sublinhando um "momento importante". Os 44,5 milhões de eleitores franceses são chamados às urnas para escolher entre dez candidatos ao Eliseu.
"Estou atento, mobilizado e respeitoso. São os franceses que votam. O dia que agora começa vai ser longo. É um momento importante",
afirmou Hollande, deputado por Tulle, na Corrèze, centro de França, antes de depositar o seu voto. O favorito a esta primeira voltas das presidenciais francesas estava acopmpanhado da namorada, a jornalista Valérie Trierweiler.
Por volta do meio-dia (11h00 em Portugal), Nicolas Sarkozy votou num liceu do muito chic bairro XVI de Paris. De fato azul, o atual chefe do Estado fez-se acompanhar da primeira dama, a ex-modelo e cantora Carla Bruni. Depois de votar, Sarkozy saiu em silêncio, tendo apertado as mãos à multidão que ali se juntara.
As urnas abriram às 8h00 locais, menos uma hora em Portugal, e fecham às 20h00 locais. São então esperados as primeiras estimativas.
De acordo com as últimas sondagens, Hollande é favorito com 28% das intenções de voto, apenas dois pontos à frente de Sarkozy. Marine Le Pen, a candidata da extrema-direita surgia muito atrás, com 14 a 17% das intenções de voto. É assim quase certa uma segunda volta, marcada para 6 de maio.

Breivik - louco ou inimigo? Por:Fernanda Palma

O assassino de mais de setenta pessoas em Oslo parece fácil de compreender. A sua lógica era defender a Noruega dos imigrantes islâmicos, que perverteriam os valores nacionais. Para cumprir tal missão, exterminou adeptos de um partido multiculturalista e tornou-se protagonista de um espetáculo mediático que concentrou as atenções sobre ele.
Como é óbvio, Breivik é louco à luz do que se entende secularmente por razão. No entanto, este homem não deixa de utilizar os raciocínios comuns associados ao medo do que é diferente. Ele não se consegue assumir como o ser prepotente que é, mas invoca uma missão de defesa dos valores ocidentais e dos seus compatriotas noruegueses e espera que o compreendam.
A Breivik não é indiferente o aplauso de uma assistência. Ele pensa que não é um homem só. Breivik só existe porque a sociedade e o mundo não rejeitaram devidamente a sua visão das coisas. Tal como os fundamentalistas islâmicos, ele transforma-se em vítima para justificar o injustificável, recorrendo a quadros de racionalidade para explicar a sua loucura.
A decisão sobre a imputabilidade de Breivik não é só uma questão médica mas também uma questão de justiça. Breivik sabe o que fez e conhece o significado dos seus atos para o Direito, mas não reconhece legitimidade à Justiça. A aplicação de uma pena de culpa não produzirá nele qualquer efeito. Nunca se arrependerá ou sentirá compaixão pelas suas vítimas.
Perante esta situação poderemos recorrer às soluções tradicionais do Direito Penal? Precisamos de respostas específicas. Mesmo que, em termos médicos, este psicopata não seja um inimputável típico, devemos entendê-lo como uma pessoa de elevada perigosidade, que tem de ser objeto de especiais medidas de tratamento e de defesa por parte da sociedade.
Segundo o Código Penal português seria possível considerar Breivik inimputável, ao abrigo do artigo 20º, nº 3, tendo em conta a sua "comprovada incapacidade de ser influenciado pelas penas". Neste caso, a aplicação de uma medida de segurança de internamento permitiria à sociedade um maior controlo da perigosidade, assente na análise da personalidade demente.
Se Breivik for reconhecido como capaz de culpa, não entenderá o julgamento. Continuará a desempenhar o papel de vítima e de representante dos "verdadeiros noruegueses", assumindo o estatuto de inimigo do multiculturalismo e mantendo a sua "dignidade política". Levado a sério, terá alcançado o seu objetivo e dado voz ao pior que a sua sociedade produziu.

Por:Fernanda Palma, Professora Catedrática de Direito Penal, com a devida vénia.Foi publicado no "Correio da Manhã"

sábado, 21 de abril de 2012

Cristiano Ronaldo calou Camp Nou

21.04.2012 - 20:52-Público
Cristiano Ronaldo marcou o golo da vitória do Real sobre o Barcelona em Camp Nou e escancarou as portas do título para a equipa de Madrid: a quarto jornadas do fim, soma 7 pontos de avanço e tem uma mão no 32.º campeonato da sua história.
O Real nunca esteve a perder. Começou a ganhar com um golo de Khedira aos 17 minutos, num canto apontado por Di María e cabeceamento de Pepe – a bola sobrou para o alemão que bateu Valdés.
Só no segundo tempo o Barça conseguiu responder. Foi Alexis, acabado de entrar: nem um minuto precisou para marcar a Casillas.
Só que a festa durou pouco. Três minutos depois, Ronaldo apareceu, desmarcou-se (um passe de excelência de Ozil) e em corrida marcou a Valdés. Mandou calar o estádio. Um estádio que não via uma derrota há 54 jogos...
Veja o vídeo dos golos

ONU adverte golpistas da Guiné-Bissau para “sanções específicas”

21.04.2012-Por:Público
O Conselho de Segurança da ONU aprovou neste sábado uma declaração sobre a Guiné-Bissau, na qual condena o golpe militar e adverte para eventuais “sanções específicas” para os autores do golpe.
O texto, que a AFP cita, resulta de negociações dos dois últimos dias, em que Portugal fez circular entre os membros do Conselho de Segurança uma nova versão do documento, com elementos da anterior declaração.
O Conselho de Segurança exige a libertação “imediata e incondicional” dos líderes políticos detidos, o primeiro-ministro guineense, Carlos Gomes Júnior, e o Presidente interino, Raimundo Pereira. Os dois continuam detidos, no meio de um processo eleitoral em que tudo apontava para que o chefe do Governo deposto no golpe de 12 de Abril fosse eleito Presidente.
Na declaração, lida em Nova Iorque pela embaixadora norte-americana na ONU Susan Rice, o Conselho de Segurança diz-se pronto “a tomar outras medidas” impondo sanções para os autores do golpe de Estado. Uma posição reforçada dias depois de os países lusófonos terem pedido o envio de uma missão para a Guiné-Bissau. (ler mais)

Carris volta às greves nos dias 7 a 13 de Maio

21.04.2012-Por:Público
Os trabalhadores da Carris vão voltar às greves, com paralisações parciais previstas entre os dias 7 e 13 de Maio.
A greve parcial vai afectar duas horas por turno, uma no início e outra no fim, avança a Rádio Renascença. O pré-aviso já foi entregue e envolve todos os sindicatos da empresa.
O secretário-geral do Sindicato dos Trabalhadores dos Transportes (SITRA) , Sérgio Monte, citado pela mesma rádio, justificou a nova vaga de paralisações com a falta de respostas da tutela e da administração sobre o futuro da empresa e dos seus trabalhadores.
“O tempo vai passando e, até hoje, não tivemos qualquer resposta, não há qualquer tipo de negociação, os trabalhadores são confrontados diariamente com mais cortes e mais restrições”, sublinhou o responsável. Nos últimos meses a Carris já perdeu 200 trabalhadores através de reformas antecipadas e de rescisões amigáveis.
Para a semana está também prevista uma reunião dos sindicatos do Metropolitano de Lisboa, de onde poderá sair uma nova greve, diz a Renascença.

Pensamentos e Reflexões sobre os seres humanos


(via ML)

Franz Schubert, "Fantasia" em 4 mãos,opus 103


Olga Papikian/ Vladimir Genin
Um excelente Concerto de Piano no âmbito das Comemorações do 25 de Abril, no Auditório José Vareda, na Marinha Grande. Chopin, abrindo com "Revolucionário" com execução perfeita de Pedro Cruz. A que se seguiu Luís Batalha, em execução preciosa de "Polichinelo" de Rachmaninoff. A quatro mãos, ambos os pianistas, Luís Batalha e Pedro Cruz, com a força e o rigor técnico que as peças exigiam brindaram, também, a um público muito atento e caloroso, com excertos das peças "Sonata" nº1(Alegro e Andante) de Mozart e "Fantasia", opus 103 de Franz Schubert.

É deste último compositor o excerto que aqui se coloca em vídeo, cuja execução pertence a Papikian/Genin. Durante o concerto foram projectados slides ilustrativos do 25 de Abril e da guerra colonial, do trabalho dos operários da Marinha Grande, nas diversas áreas de indústria e uma excelente seleção de aspectos do património construído na cidade vidreira.Tratou-se de uma noite cultural, no caso, preenchida exclusivamente com piano e que grangeou a participação interessada de centenas de pessoas, com importante presença de jovens. O Sport Operário Marinhense, entidade organizadora, teve um excelente ganho de causa e abriu do melhor modo os eventos culturais integrados no 25de Abril.Congratulações aos exímios pianistas, ambos exercendo na região centro e que têm vindo a ser muito solicitados para Programas de idêntico teor.


OC

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Portugal prepara um segundo resgate

por:dn.pt/Lusa-Hoje
O antigo secretário-geral da CGTP, Carvalho da Silva, alertou hoje que estará a ser preparado um segundo resgate a Portugal, na sequência de declarações recentes do primeiro-ministro, que levará a mais austeridade.
"Se olharmos para o conteúdo de uma entrevista do primeiro-ministro e várias coisas que vieram a público do Fundo Monetário Internacional, nós podemos dizer que perigosamente está na calha um segundo resgate, isto é, mais austeridade e recessão sobre uma sociedade fortemente empobrecida, mais insegura, com uma economia aceleradamente fragilizada", afirmou Carvalho da Silva durante a sua intervenção na Conferência Internacional de Turismo, organizada pela Universidade Católica Portuguesa, que hoje decorre em Braga.
Na terça-feira, o primeiro-ministro Pedro Passos Coelho assinou um artigo de opinião no diário britânico Financial Times intitulado "Portugal otimista mantém-se num caminho de reformas pragmático", no qual explicou que é preciso contar com "o compromisso dos parceiros internacionais para dar um apoio adicional caso surjam circunstâncias fora do controlo que obstruam o retorno ao mercado de financiamento".
O primeiro-ministro já tinha admitido a hipótese de ser precisa mais ajuda internacional no início do mês, quando, em entrevista ao jornal alemão Die Welt, afirmou que Portugal poderia não conseguir regressar aos mercados no próximo ano.
Carvalho da Silva lembrou, ainda, que o Fundo Monetário Internacional, esta semana, foi além de declarações recentes e "reconheceu que austeridade em recessão, quando implementada de forma coordenada em muitos países, tem como efeito inevitável o aprofundamento da recessão".

À reflexão da Ministra da Justiça...

(via ML)

Ministra da Justiça não garante regresso dos subsídios de férias e Natal em 2015

20.04.2012 -Por:Público
A suspensão dos subsídios de férias e de Natal dos funcionários públicos e reformados pode ir além de 2014, segundo a ministra da Justiça, Paula Teixeira da Cruz.
A ministra admitiu, em declarações à rádio Antena 1, que em caso de agravamento da crise europeia pode não haver margem para repor os subsídios dos funcionários públicos nos moldes em que o primeiro-ministro anunciou recentemente: a partir de 2015, e gradualmente.
Os subsídios só serão repostos “se houver espaço”, o que no entender da ministra impõe que “a situação europeia não se agrave”, segundo disse numa entrevista Antena 1 que será transmitida nesta sexta-feira de manhã, e da qual a rádio pública está a divulgar já esta informação nos noticiários da manhã.
No seu entender, a Constituição não está suspensa e o problema é a falta de dinheiro. E assegura que os direitos fundamentais estão garantidos. (Ler mais)

quinta-feira, 19 de abril de 2012

França/Eleições,Hollande apela ao voto e alerta que "jogo não acabou"

por:dn.pt/Lusa-Hoje
O candidato socialista às presidenciais francesas, François Hollande, exortou hoje os eleitores a votarem no domingo na primeira volta das eleições, alertando que "o jogo não acabou", apesar de sondagens o colocarem à frente do presidente cessante Nicolas Sarkozy.
Com as sondagens a indicarem a existência de um grande número de indecisos e muitos a preverem abster-se, Hollande disse numa entrevista à agência France Presse que os eleitores que querem afastar Sarkozy devem apoiar o candidato socialista na primeira volta.
"É nas próximas horas que muitos em França farão a sua escolha. Vejo que ainda existe alguma hesitação quanto a ir votar ou não. A minha posição é clara: convencer os eleitores até ao final que a primeira volta transporta a segunda", afirmou Hollande.
Hollande, de 57 anos, prometeu uma mudança no estilo presidencial se for eleito, com "uma presidência modesta para quem a exerce e ambiciosa para o país".
Prometeu também dar conta da sua política "a cada seis meses" e disse ver como um elogio a qualificação de "anti-herói" que lhe fez o diário espanhol El Pais.
Face à concorrência à sua esquerda de Jean-Luc Mélenchon, antigo ministro socialista que se aliou aos comunistas, François Hollande advertiu que "não haverá negociações entre partidos no período entre as duas voltas" e que se ganhar é o seu projeto "que será aplicado e não outro".
"Sou socialista. Devo juntar a esquerda. E dirigir-me aos franceses que querem a mudança. Já o disse, não haverão negociações. É com o projeto que me apresento na primeira volta que irei perante os franceses na segunda", disse ainda.

Soares diz que Passos está a fazer um “péssimo trabalho”

19.04.2012-Por:Público/Nuno Sá Lourenço
O antigo Presidente da República e fundador do Partido Socialista (PS), Mário Soares, classificou nesta quinta-feira o trabalho do actual primeiro-ministro como “péssimo”, numa intervenção durante o almoço que assinalou o 39.º aniversário do partido.
"Elogiei Pedro Passos Coelho sempre do ponto de vista moral e tenho simpatia por ele. Agora, acho que ele está a fazer um péssimo trabalho e também acho que o Governo não está a funcionar."
O ex-secretário-geral do PS insistiu nas críticas ao Governo mesmo antes do almoço, depois de o actual líder socialista, António José Seguro, ter assumido a “responsabilidade de manter os valores e o ideário” do partido fundado em 1973. Citou o caso do Serviço Nacional de Saúde, que considerou estar a ser “destruído sistematicamente”: “Temos de ter uma posição muito firme”, afirmou Soares.
António José Seguro anunciou ainda ter convidado o antigo Presidente da República para presidir, em 2013, às comemorações do 40.º aniversário da fundação do PS, num discurso em que definiu como prioridade o combate às injustiças.

quarta-feira, 18 de abril de 2012

O destempero de um governo que perdeu o tino…!

Há semanas, como esta última, que prenunciam os curtos meses que se avizinham até que os incensados governantes desfaleçam de vergonha ou de inanição mentirosa. O governo presidido por Passos Coelho tem-se esgotado em fazer passar uma mensagem capaz de fingir que, por norma, sempre abordaria a realidade dos factos sob a regra de uma composta e presumida verdade. Fê-lo tendo em vista a contraposição com o anterior governo e fazendo-lhe subjazer a tese de que a “barganha” e os vilipêndios organizados em torno do seu antecessor lhe proporcionariam o bode expiatório capaz de tapar com véus pretos os disparates e o desconchavo que a actual gestão governamental tem vindo a proporcionar.
Tudo se explica com os famosos lapsos a propósito dos cortes dos subsídios de Natal e férias de funcionários públicos e pensionistas que, propagandeados como sendo restritos aos anos de 2012/2013, na boca do 1ºministro e de vários membros do governo, e que, agora, tal como coelho tirado da cartola já só são parcialmente admitidos em 2015, ou será 2016, ou nunca mais…?!? A que a tudo acrescem os desmesurados aumentos do número de desempregados e as concomitantes reduções das contribuições para a Segurança Social, sem falar da política de inaudita austeridade que do IVA ao IMT e aos aumentos dos transportes, dos combustíveis e energia têm vindo a causar a mais profunda das depressões que a nossa economia alguma vez possa ter passado.
E, obviamente, em atitude de claro descoco e desnorte, tal governo, em matéria de imposição de ditames relativos a reformas antecipadas, optou por seguir procedimentos legislativos secretos, usando precedentes que desrespeitam a lei e os fundamentos da estrutura constitucional. Um verdadeiro disparate cuja promulgação deixa muito que pensar em sede de poderes presidenciais, sobretudo porque se finge não atentar que inúmeros cidadãos que optaram por solicitar a antecipação da sua reforma não tiveram outro remédio, já que só o fizeram por terem sido atingidos pelo desemprego.
Ou seja, a equipa aventureira capitaneada por Passos Coelho e flanqueada por Relvas e Gaspar, já que Portas finge estar acoitado atrás das moitas, e Álvaro está em estado de desnutrição governamental, ainda não terá entendido, com a meridiana clareza que os assuntos de estado deviam requerer, que nas últimas semanas o bote que tripulam começa a meter água por tudo que são buracos e trapalhadas. Claro, a ideia de se portarem como alunos bem comportados e os primeiros a disponibilizarem-se para a ratificação do Tratado Orçamental, também em nada gratifica ou sequer ajuda, já que, passar para além da “troika” ou do Memorando de Entendimento em nada tem contribuído para evitar o nosso empobrecimento, ou atenuado a continuada recessão e a depressão económica dos nossos compatriotas.
Certo é que, muitos dos portugueses que sustentaram eleitoralmente a maioria PSD/CDS jamais perdoarão a este governo tudo o que vêm sentindo na pele, o mesmo é dizer, os aumentos de impostos, o corte de rendimentos, a incessante política de austeridade, o desemprego, a redução do apoio do estado, os novos caminhos tendentes ao plafonamento da segurança social, os virulentos ataques ao serviço nacional de saúde e as intenções inigualitárias em matéria de educação.
Em suma, Passos Coelho pode estar a caminhar à orla do precipício, pode não sobreviver aos desplantes e desconchavos em que tem sido fértil, especialmente porque tem vindo a percorrer um caminho na margem da violação dos princípios estruturantes do estado português, e isso paga-se!


Osvaldo Castro

Antero de Quental, Poeta e Polemista, nasceu neste dia há 170 anos

por: Columbano Bordallo Pinheiro (pintura em tela)

A um poeta

Tu, que dormes, espírito sereno,
Posto à sombra dos cedros seculares,
Como um levita à sombra dos altares,
Longe da luta e do fragor terreno,

Acorda! é tempo! O sol, já alto e pleno,
Afuguentou as larvas tumulares...
Para surgir do seio desses mares,
Um mundo novo espera só um aceno...

Escuta! é a grande voz das multidões!
São teus irmãos, que se erguem! são canções...
Mas de guerra... e são vozes de rebate!

Ergue-te pois, soldado do Futuro,
E dos raios de luz do sonho puro,
Sonhador, faze espada de combate!

Antero de Quental

Em artigo do jornal "Financial Times",PM diz que não há garantias de regresso ao mercado

18-04-2012,dn.pt
O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, reconhece num artigo publicado hoje no jornal "Financial Times" que não existem garantias que Portugal cumpra os seus compromissos para regressar aos mercados antes de setembro de 2013.
Passos Coelho diz estar otimista quanto a capacidade de Portugal de cumprir com as suas obrigações, mas pediu realismo e pragmatismo uma vez que factores exteriores ao governo podem desempenhar um papel importante.
"É importante dizer qualquer coisa que soe controversa, mas que não é controversa de modo algum - numa época de incerteza não existem garantias", avançou.
O primeiro-ministro descreveu o compromisso de Portugal para cumprir os termos do programa de ajustamento económico e financeiro e descartou a sugestão de um segundo resgate ou reestruturação da dívida se as reformas do governo correrem como previsto.
"Estou confiante o plano de reformas que temos em marcha e a nossa capacidade de regressar aos mercados a tempo se o levarmos a cabo", afirmou.
Admitiu, no entanto, que Portugal poderia pedir mais apoio se factores externos ao país se concretizassem. "É por isso que aceitamos ter de depender no compromisso com os nossos parceiros internacionais para para estender o apoio se circunstâncias fora do nosso controlo obstruírem o nosso regresso aos mercados financeiros".
De acordo com a Reuters, citando o "Financial Times", Passos Coelho conclui dizendo que não existem garantias. "Não podemos legislar eventos fora do nosso controlo. Mas estou convencido que vamos conseguir restaurar a prosperidade em Portugal".

terça-feira, 17 de abril de 2012

Governo tem de esclarecer sustentabilidade do sistema,diz Marcelo

por:dn.pt/Lusa-Hoje
O comentador Marcelo Rebelo de Sousa disse hoje que o Governo tem de esclarecer a situação e o prazo de sustentabilidade da Segurança Social, escusando-se a comentar, para já, a intenção do executivo de avançar para o plafonamento.
"O Governo tem que esclarecer - e certamente irá esclarecer os portugueses acerca da situação da segurança social, os problemas que existem, os problemas que existem hoje, problemas que existem a curto prazo e problemas que existem a médio e longo prazo", disse Marcelo Rebelo de Sousa.
O ex-presidente social-democrata e comentador político falava à Lusa à margem de um encontro subordinado ao tema "A família e o direito", a decorrer hoje na Aula Magna, em Lisboa, e que assinala os 30 anos da exortação apostólica da "Familiaris Consortio".
Para Marcelo Rebelo de Sousa, o executivo tem ainda de informar sobre se está garantida a Segurança Social e por quanto tempo ou se para garantir a Segurança Social é necessário mudar para um sistema misto. (Ler mais)

Concertação social:UGT ameaça denunciar acordo com Governo

por:dn.pt/Lusa-Hoje
O secretário-geral da UGT ameaçou hoje denunciar o acordo de concertação social se o Governo continuar a não o cumprir, adiando as medidas para o crescimento e o emprego. João Proença vai pedir uma reunião com caráter de urgência ao primeiro-ministro.
"Deixo um aviso claro ao Governo e aos empregadores: ou respeitam na íntegra o acordo tripartido ou a UGT denuncia o acordo", disse Proença em Conferência de imprensa".

João Proença, que falava aos jornalistas no final de uma reunião do secretariado nacional da UGT, reafirmou que o Governo não tem cumprido o Compromisso para a Competitividade, Crescimento e Emprego, nomeadamente no que respeita às portarias de extensão, que continuam por publicar, e à dinamização da contratação coletiva.
"Além disso o Governo negociou medidas no âmbito do Memorando da 'Troika' que vão contra o acordo de concertação social", disse Proença acusando o executivo de ainda não ter avançado com medidas que promovam o crescimento económico e o emprego.
"O desemprego aumentou num ano cerca de 20 por cento mas parece que a única preocupação do Governo é a desregulação laboral e a redução das prestações sociais", acrescentou.
A UGT vai pedir uma reunião com caráter de urgência ao primeiro-ministro para o alertar para a necessidade de cumprir os acordos de concertação e para com ele discutir as alterações que estão a ser feitas ao nível da segurança social.

A Crise estudantil de 1969 em Coimbra, em fotografias...


Crise Académica de 1969 - Uma das maiores crises que abalaram a Universidade de Coimbra. Já lá vão 43 anos! Que também se pode ler aqui
Uma reportagem fotográfica histórica de momentos fortes desse período agitado, uma verdadeira relíquia, tem percorrido o país na forma de "pps", com cerca de 200 fotos.

Taur Matan Ruak é o novo Presidente de Timor-Leste

17.04.2012-Público/Agências
O ex-chefe das Forças Armadas timorenses, Taur Matan Ruak, foi eleito o novo Presidente de Timor-Leste na segunda volta das presidenciais, de acordo com os resultados difundidos nesta terça-feira pelo secretariado eleitoral.
Taur Matan Ruak conquistou 61,23% dos votos, ao passo que o seu adversário, o ex-presidente do Parlamento Francisco Lu Olo Guterres (apoiado pela histórica Fretilin – Frente Revolucionária do Timor-Leste Independente) se ficou pelos 38,77% dos votos.
A participação cifrou-se nos 73%, especificou o secretário eleitoral.
(Ler Mais)

segunda-feira, 16 de abril de 2012

"ACORDAR"-Hino da ação "Zero Desperdício"


Hino dedicado à causa "Zero desperdício" com música de João Gil e letra de Tim e em que participam: Ana Bacalhau, Anabela, Anjos, António Pinto Basto, Adriana, Ana Sofia Varela, Armando Teixeira, Boss AC, Camané, Carlos Mendes, Chullage, Cristina Branco, Cuca Roseta, Fernando Cunha, Fernando Girão, Fernando Tordo, Gomo, Janita Salomé, João Pedro Pais, Jorge Palma, João Gil, Kátia Guerreiro, Lara Li, Lúcia Moniz, Luís Represas, Luísa Sobral, Manuel João Vieira, Mafalda Veiga, Miguel Gameiro, Miguel Pité, Nuno Norte, Olavo Bilac, Paula Teixeira, Paulo de Carvalho, Pedro Laginha, Pedro Puppe, Ricardo Quintas, Ricardo Ribeiro, Rita Guerra, Roberto Leal, Rui Veloso, Salvador Taborda, Sara Tavares, Sérgio Godinho, Susana Félix, Tiago Bettencourt, Tim, Tito Paris, Vitorino, Zé Manel.
(via Folha Seca)

Seguro quer deslocar magistrados para evitar encerramento de tribunais

Por:Ionline,Agência Lusa, 16 Abr 2012
O secretário-geral do PS defendeu hoje que, em alternativa ao objetivo do Governo de encerrar tribunais, deverão ser os magistrados a deslocarem-se, permitindo-se assim que muitos dos tribunais do interior continuem em funcionamento com serviços mínimos.
António José Seguro assumiu esta posição numa deslocação à Câmara Municipal de Vinhais, um dos concelhos cujo tribunal poderá encerrar a prazo.
"Em vez de se encerrarem tribunais, como o Governo pretende, porque razão não se faz ao contrário, mantendo-se os tribunais com os serviços mínimos que devem ter e em vez de serem os cidadãos a deslocarem-se para os concelhos vizinhos (com as suas testemunhas e advogados) são os magistrados que se deslocam de outros tribunais para fazerem julgamentos e sessões. Mesmo no que respeita a custos com combustíveis, haveria aqui um benefício", sustentou o líder dos socialistas. (ler mais)

Passos preso a "escritório de contabilidade de S. Bento"

por:dn.pt/Miguel Marujo-Hoje
Carlos Zorrinho abriu a reunião de deputados socialistas em Bragança com críticas a um Governo que acusa de não ir ao terreno ver a "flagelação desnecessária" imposta aos portugueses
.
O líder da bancada do PS abriu as jornadas parlamentares esta manhã com dois apelos a Passos Coelho e ao seu Governo, a quem apontou a "cada vez maior dificuldade em sair do escritório de contabilidade que montaram em São Bento e em confrontarem-se com a realidade do terreno".
O primeiro apelo de Carlos Zorrinho é "contra a arrogância política deste Governo, que o tem isolado do diálogo construtivo", com os parceiros sociais, mas também com o próprio PS, exemplificando com "a rutura do consenso europeu" registada no final da semana passada, quando a maioria governamental chumbou no Parlamento a proposta socialista de um ato adicional ao Tratado Europeu Orçamental.
O segundo apelo é para que o Governo vá "ao terreno", para "ouvir as pessoas" para que Passos Coelho perceba "a flagelação desnecessária" que, segundo o líder socialista, está a ser aplicada aos portugueses.
"Não aceitamos o empobrecimento estrutural do nosso país", sublinhou Zorrinho, para fazer a sua profissão de fé. "O ajustamento é um esforço coletivo para voltarmos a crescer e criar empregos. O [ajustamento] deles [do Governo] é para aceitarmos o empobrecimento."