terça-feira, 9 de novembro de 2010

Chico Buarque ganha Prémio PT de Literatura com "Leite Derramado"

O compositor, músico e intérprete Chico Buarque da Hollanda acaba de ser galardoado com o Prémio PT de Literatura pela sua obra "Leite Derramado", tudo como se pode ler no "DN online"

8 comentários:

Ana Brito disse...

Caro Amigo Osvaldo
O artista sem se separar do público, o crítico que vinga no escritor, enfim, todo um processo de apreensão competente da obra de arte, da obra literária com uma intenção estética que se sente no plano íntimo.
Parabéns, mais uma vez, a Chico Buarque, ao seu discurso transparente e revitalizador.
Grande Abraço com Amizade :)
Ana Brito

Carta a Garcia disse...

Cara Ana Brito,
Sim, Chico está mais maduro na obra literária e o seu crescimento é notório de obra para obra.
Abraço Amigo,
OC

Rogério Pereira disse...

"O escritor deve fazer bem o que faz. O melhor que possa. Mas não deve ficar-se por aí. Não deve esquecer-se que é uma figura pública e está obrigado a intervir."

Que bem se lhe ajustam estas palavras de um seu grande amigo, que foi José Saramago

Carta a Garcia disse...

Olá, Rogério Pereira,

Fique então a saber, se é que não sabe, que quem entregou o Prémio da PT a Chico Buarque, foi, nem mais nem menos, que a Pilar, viúva de Saramago.
E Chico sempre interveio na vida política brasileira e até portuguesa...Apoiou firmemente Lula, e bem recentemente foi um dos principais apoiantes de Dilma Rousseff...e no caso português,não receou ser preso e apresentou em Lisboa e Coimbra, nos fins dos anos 60 a peça de teatro "Morte e Vida Severina", que, pela temática, era também um libelo contra o fascismo.
Deixe dizer, Chico não recebe lições de coragem, em matéria de intervenção cívica, de ninguém!
Abraço,
OC

Rogério Pereira disse...

Caro Osvaldo

Escrevi o que escrevi.
Podia ter escrito de outra maneira.
Assim:
"O escritor deve fazer bem o que faz.(Chico faz) O melhor que possa.(Chico faz) Mas não deve ficar-se por aí.(Chico não se fica por aí) Não deve esquecer-se que é uma figura pública (Chico não esquece) e está obrigado a intervir."(Chico intervém)

Julgo que foi apressado na leitura ao meu comentário inicial. Mas eu não levo a mal...

Abraço

Carta a Garcia disse...

Caro Rogério Pereira,

Desculpe se entendi mal as S/ palavras...mas assim e agora fica mais claro para os leitores.Ambos reconhecemos as qualidades estéticas do Chico Buarque e a S/ intervenção cívica e na defesa dos mais desfavorecidos ao longo da vida...
Abraço,
Volte sempre.
OC

Rogério Pereira disse...

Li Josué de Castro (Sete Palmos de Terra e Um Caixão, Geopolitica da Fome) antes de ver Morte e Vida Zeferina. Dei-lhe uma dimensão tão forte que me marcou imenso... Se me tivesse seguido, teria deparado com constantes posts do Chico ou citando-o. Tenho até juntado os dois, nomeadamente no Programa de Jô Soares. Não separo Saramago desse saramaguiano que é o Chico. Só por isso reagi à sua resposta...
Ainda bem que a boa interpretação foi reposta!

Abraço amigo

Carta a Garcia disse...

Rogério Pereira,

desculpe se interpretei mal...mas reparo que devemos ter feito as mesmas leituras em tempos semelhantes e visto igualmente espectáculos de referência.
Abraço
OC